O erro Nº 1 que acaba com suas chances na redação do Enem

6
3784

Pensar sobre o que pode acabar com as chances na prova de redação do Enem é o pesadelo de milhares de alunos que hoje estão se preparando para essa prova. Infelizmente, essa possibilidade existe. E eu vou lhe mostrar neste texto o ERRO número 01 que pode eliminar você desta prova. Mas antes, quero lhe fazer algumas perguntinhas, que dependendo de sua resposta, você saberá se está nesta área de risco:

erro na redação do enem

  1. Você sabe o que é a tese na prova de redação do Enem?
  2. Você tem planejamento e estratégia de introdução?
  3. Você sabe construir uma solução? Sabe a qual parte do texto ela está relacionada?

Se você respondeu “não” a pelo menos uma destas perguntas, então, é preciso ficar atento, pois sua redação pode estar em risco. Converso com inúmeros alunos, praticamente todos os dias, sobre o que os bloqueia na hora de escrever o texto. E SEMPRE uma ou mais de uma dessas questões estão presentes.

Está com preguiça de ler? Você pode também assistir o vídeo sobre esse artigo.

É incrível como os alunos, de forma geral, desconhecem o que é a tese, a solução, as estratégias de introdução. Fico preocupada e, muitas vezes, triste com essa situação, pois vejo que são pessoas dedicadas, que estão se empenhando ao máximo para realizarem seus sonhos, mas estão bloqueados por falta de conhecimento sobre algo tão simples.

Paralelamente a isso, também, vejo que as orientações recebidas por esses alunos deixam muito a desejar no sentido de que são abstratas e indecisas. Abrindo aqui um parênteses, essas incoerências começam na base da construção do conceito sobre texto dissertativo-argumentativo. Ora, se texto dissertativo-argumentativo é o texto que apresenta uma opinião, no sentido de convencer ou até persuadir o leitor, então, como se pode dizer que esse mesmo texto pode possuir pontos positivos E negativos? Teoricamente, aqui até poderia sugerir inúmeros autores, mas é desnecessário, pois TODO MUNDO sabe ou DEVERIA SABER que o texto que permite exposição contra ou favor é o dissertativo expositivo, o qual não tem a necessidade de convencer ou persuadir, e sim apenas de mostrar, expor fatos.

É com base em equívocos conceituais como este que posso dizer sobre a existência de um quase completo caos sobre o ensino-aprendizagem dos alunos, o que explica, em grande parte, as dificuldades existentes e claro a concreta possibilidade de se cometer aquele erro nº 1 que apontei no início deste texto.

Assim, retomando o objetivo inicial deste artigo, lá vai o erro nº 1:

Construir uma sugestão ao invés de uma solução.

Quando isso acontece? Isso ocorre quando os alunos não criam a tese, ou seja, o fato-problema relacionado ao tema. O Enem trabalha com uma organização de texto que inclui dois pontos-chave na redação: problema-solução. Se não houver uma clara, sustentável e progressiva problematização, então, não haverá solução para a questão apresentada, e sim uma leve sugestãozinha, que não tem sustentação para corresponder à expectativa do tema sugerido.

Sendo assim, é importantíssimo que se construa, antes de começar a redação, uma ou mais de uma situação-problema (tese) vinculada ao tema, para que seja possível solucionar algo. Essa tese é uma causa ou consequência relacionada ao tema, isto é, ela refere-se a algo que aponta uma FALHA relacionada ao tema. Sempre digo a meus alunos: como você vai construir uma solução se a abordagem que você deu ao tema foi a de um levantamento de benefícios ou vantagens sobre dada questão do tema? Se ‘tudo está perfeito e uma maravilha’, então, não há o que solucionar, e sim sugerir. No entanto a ‘sugestão’ não tem a mesma força que uma SOLUÇÃO.

Diante disso, PROBLEMATIZE o tema independentemente de ele apontar, ou seja, dar uma dica de que há ‘algo de errado’ ou não. Um exemplo disso foram os temas “Efeitos da Lei Seca” e a “Persistência da violência contra a mulher”. Para construir textos sólidos e inquestionáveis sobre estes dois tema, o candidato deveria apontar situações-problema relacionadas a cada um deles.

Sobre o primeiro, problemas relacionados seriam, por exemplo, restrito efetivo de policiais, precários equipamentos de trabalho, pouca fiscalização, legislação penal contraditória. Todas essas possibilidades poderiam funcionar como tese e dar condições de o aluno explicar os fatos, apresentando graves efeitos e, a partir disso, desenvolver as soluções.

Sobre o segundo tema mencionado acima, ‘persistência da violência contra a mulher’, pode-se afirmar que havia mais facilidade de se criar a tese, pois o próprio tema já dava um ‘norte’ sobre a problematização, ou seja, quando se apontou ‘persistência’, isso possibilita pensar sobre as causas dessa ‘persistência’, que seriam, por exemplo, uma cultura familiar de permissividade sobre o comportamento masculino e de repressão sobre o comportamento feminino.

Com isso, podemos perceber que uma TESE forte vai nos dar condições de CRIAR soluções com mais clareza, pois haverá o que ser solucionado. Haverá um fato para ser resolvido.

Com base no que eu disse aqui, espero que tenha colaborado para o seu aprendizado. Aproveite bem essas informações. Sugiro que crie um caderninho de anotações, para você ir se organizando melhor.

No próximo artigo, demonstrarei, com base nestes mesmos exemplos, o passo a passo para a construção de uma sólida solução, que determinará a nota 1000 de sua redação.

Aproveite e leia também meu artigo sobre Como organizar as ideias antes de começar a redação do Enem.

Se você gostou, dê um like ou coloque um coraçãozinho S2.

Muitos beijosss para vocês!

Prof. Pati Curri.

Comments

comments

6 COMMENTS

  1. Queria dizer muito obrigado professora Pati pela sua disposição em ajudar nóis alunos. Realmente vc é uma profissional no assunto, estou gostando muito do Site, estou conseguindo aprender. ?

  2. oi professora, tudo bem? encontrei teu blog por “acaso”, estava precisando de uma luz para fazer as redações. quero agradecer por essas dicas, por me deixar com vontade de escrever e deixar meu medo de lado. gratidão ??

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here