O truque para redação nota mil que os (professores) estão escondendo de você!

0
12791

Pensar, criar, explicar, dar progressão, expandir o conhecimento. Essas ações demonstram habilidades que são decisivas e certamente inquestionáveis para a redação 1000.  No entanto, eu sei também que alguns ou muitos de vocês estão passando por um momento de “trava” ou de bloqueio na produção de textos. E, por causa disso, não escrevem, não produzem e estão se sentindo perdidos e desmotivados. Diante disso, eu vou aqui hoje liberar para vocês um truque que funciona como um impulso para você se desinibir e começar a produzir textos, os quais, em constante produção, vão ser 1000 no dia da prova. Esse truque objetiva dar “a largada”, ou seja, aquele início do qual você tanto precisa para começar e CONQUISTAR a SUA APROVAÇÃO. Mas lembre: esse truque funciona como uma técnica de desinibição que depende de seu esforço para que seja aperfeiçoada. Entendido isso?! Agora, vou abrir primeiramente duas observações para que esse truque funcione:

1ª Observação: 

observação

SEMPRE, após ler o tema, na tarefa de redação (Pare, brevemente, a leitura AQUI e LEIA o tema-exemplo de redação que coloquei ali, sublinhe as palavras-chave e delimite a tese. Ou seja, defina uma ou duas (ou até mais) situações-problema relacionadas ao tema.

TEMA- EXEMPLO

Situei esse texto abaixo, usando apenas uma parte dele. Ou seja, o mesmo não está na íntegra. Apesar disso, utilizei-o porque o considerei excelente. Eu até poderia ter usado textos menores, com mais variedades de ideias, mas preferi assim para dar uma boa base a vocês.

TEMA DE REDAÇÃO – ENEM

Com base na leitura dos textos motivadores seguintes e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: Os efeitos do trabalho voluntário na atual realidade social, apresentando proposta de conscientização social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Reflexões sobre o papel e a importância do voluntariado

Publicado por: Libertas (www.libertas.com.br)- Tatiana Lucas

Temos muitos e vários tipos de problemas a solucionar no mundo inteiro: crianças abandonadas, órfãos, deficientes, fome, miséria, desigualdade social, idosos sem assistências, degradação ambiental, vítimas de violência, dependentes de drogas, ex-presos, exploração de crianças na prostituição, lixo, falta de saneamento básico, sistema educacional inadequado, entre outros.

Correlacionada a esses problemas, uma inversão de valores se apresenta na sociedade atual: a família está em crise, a idealização cultural do dinheiro, do lucro e do sucesso econômico, a escolarização é uma questão secundária para o poder público, o trabalho não é visto como um valor cultural, apenas como um meio de garantir sobrevivência. O “ter” é mais importante que o “ser”, o que mostra que vivemos em uma sociedade de aparências, na qual o modelo de auto-estima é baseado no referencial externo, vinculando o crescimento pessoal ao “ter” elementos como aparência, dinheiro, status, poder e vantagens.

O avanço da tecnologia já mostrou que, mesmo havendo mais progresso, não será possível resolver as mazelas da humanidade, até porque muitas descobertas científicas não beneficiam aqueles que realmente precisam delas. No entanto, em vez dos indivíduos dependerem uns dos outros, dependem cada vez mais de máquinas e serviços.

De quem é essa responsabilidade, afinal? Governo, empresas, cidadãos, organizações sociais? A responsabilidade é de todos nós.

Todos nós somos responsáveis por um mundo mais humano, justo e solidário, menos desigual e com mais oportunidade para todos. De que maneira um indivíduo pode fazer a sua parte? Existem várias formas, mas para todas elas é preciso dar o primeiro passo.

Atualmente muito se fala nos oito objetivos do milênio, sobretudo porque líderes de vários países da Organização das Nações Unidas (ONU), inclusive o Brasil, se comprometeram a cumpri-los até 2015. São eles:

Erradicar a extrema pobreza e a fome;
Atingir o ensino básico universal;
Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres;
Reduzir a mortalidade infantil;
Melhorar a saúde materna;
Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças;
Garantir a sustentabilidade ambiental;
Estabelecer parcerias para o desenvolvimento.

Por meio do serviço voluntário, é possível participar de todas as propostas apresentadas acima – não para assumir o papel do governo, mas para complementá-lo. O Estado somos todos nós: cidadãos, empresas e governo.

É necessário que as pessoas reconheçam os ganhos de se viver em comunidade e de pertencer a um grupo, ou seja, precisamos ter consciência de que todos fazem parte de um sistema e que não estamos sozinhos. É evidente que as pessoas devem participar mais e não apenas ter a esperança de um dia melhor.

Para que possamos colher frutos de ações, não há outra maneira senão as plantando. Se hoje colhemos frutos, alguém teve que plantar para nós; às vezes, até se sacrificou a fim de contribuir para um mundo mais justo.

(…)

O que move as pessoas a serem voluntárias? A solidariedade.
No entanto, são muitas as razões que levam à solidariedade: a vontade de ajudar a resolver os problemas e as desigualdades sociais; a necessidade de se sentir útil e valorizado; e ainda o desejo de fazer algo diferente no dia-a-dia. Outras pessoas receberam algum tratamento ou ajuda no passado e desejam retribuir; algumas são estimuladas pela caridade e ajuda ao próximo – valores tão presentes em diversas religiões.

E os benefícios que este tipo de atividade gera? Depende…

Há benefícios para o voluntário, para a instituição (projeto/comunidade) e para o público-alvo. O serviço voluntário pode contribuir para:

O exercício da cidadania e da participação social dos indivíduos – Quando os atores sociais fazem a sua parte nessa construção, eles assumem sua responsabilidade na sociedade;
A democracia – Na medida em que as pessoas participam, o exercício da democracia se faz presente também nos deveres;
A conscientização da realidade social – Conviver lado a lado com os problemas sociais do ambiente em que vivemos, torna-nos mais sensíveis e críticos;
A sensibilização das pessoas para a maneira de tratar o outro – A partir desse tipo de mudança, os indivíduos tornam-se muitas vezes mais tolerantes, pacientes;
O estímulo da solidariedade – Comportamento gera comportamento: cada vez que estamos praticando, estamos nos preenchendo deste sentimento;
A conquista de outra pessoa para ser voluntário – Quando algo nos faz bem, sentimos a necessidade de “contagiar” os outros para que também possam ter a mesma sensação;
A descoberta de outros talentos em si e nos outros – Ao se tornarem voluntários, muitos descobrem que gostam de falar em público, que são criativos, que possuem liderança, poder de persuasão, habilidade para lidar com pessoas, etc.
A realização pessoal e, muitas vezes, profissional;
O resgate e exercício de valores humanos, como compaixão, solidariedade e fraternidade – Esses valores estão em nossa essência; cada vez que agimos de acordo com ela, essa atitude é capaz de nos fazer bem.

(…)

  • Então, seguindo a orientação da 1ª observação, sublinhei ‘trabalho voluntário’ e ‘realidade atual’. Como tese (situação-problema), defini o individualismo e o egoísmo. Entendido até aqui?!

2ª Observação:

observação 2

A partir dessa marcação do tema e da tese que fiz acima, é preciso rascunhar algumas frases que justifiquem (argumentem) a tese definida. Use aquelas perguntas do argumento, as quais podem ajudar a desenvolvê-lo (Por que ‘isso’ é verdade? Como ‘isso’ acontece? A quem ou para quem ‘isso’ ocorre?)

Então, vamos fazer isso:

Por que o individualismo e o egoísmo impedem o trabalho voluntário?

Resposta: A preocupação em dedicar todo o tempo para si e só encontrar sentido em ações e em atividades próprias impede que o ser humano desempenhe uma função social de amor ao próximo através do voluntariado. 

Como esse impedimento acontece? 

Resposta: Isso fica evidente a partir da existência de milhares de pessoas – que passam por dificuldades, beirando a miséria – e que, apesar de nos consternarmos por elas – o que fazemos para tentar modificar essa triste realidade social? Nada.  

A quem ou para quem isso ocorre? 

Resposta: Normalmente, as pessoas que mais necessitam da ajuda do trabalho voluntário são aquelas que estão em grupos que beiram risco social; também instituições de apoio a crianças carentes, a idosos, bem como de reestabelecimento de ex-dependentes químicos. 

Com raciocínio semelhante a esse, podemos ‘abrir’ as ideias. Nem sempre é possível desenvolver assim… mas é preciso tentar. Quanto mais tentarmos criar ideias que fundamentem a tese, mais chance teremos de conseguir excelentes ideias no dia da prova.

A partir destas duas observações, vamos, abaixo, ler, entender e colocar em prática o truque que vai OTIMIZAR sua redação. Nesse sentido, aplique o TRUQUE por parágrafo.

TRUQUE POR PARÁGRAFO

truque

  • NA INTRODUÇÃO, faça assim: 

Após ler a prova de Redação (aquela que mencionei acima, na 1ª observação):

a) SELECIONE um pequeno fragmento para INICIAR sua redação (preferencialmente com uma ideia positiva a respeito do tema. Use essa ideia como PRIMEIRA FRASE de seu texto, colocando-a entre aspas.

b) Na segunda frase da introdução, inicie-a com um elemento de CONTRAPOSIÇÃO (Entretanto, contudo, todavia).

c) Nessa mesma segunda frase, apresente a FONTE do texto, comentando a citação ao ponto de relacioná-la ao tema.

d) Na sequência, o que pode ser na mesma segunda frase, use as palavras do tema, bem como a tese.

OBSERVE ABAIXO – segui o passo a passo da técnica acima:

“É necessário que as pessoas reconheçam os ganhos de se viver em comunidade e de pertencer a um grupo, ou seja, precisamos ter consciência de que todos fazem parte de um sistema e que não estamos sozinhos”. Entretanto, a observação de Tatiana Lucas, em artigo publicado no site Libertas, não se faz presente na atual realidade social, em função de que o individualismo barra o fortalecimento do trabalho voluntário, o qual poderia ser um sólido recurso de constantes melhorias sociais.

  • NO SEGUNDO PARÁGRAFO, faça assim:
  1. INICIE SEMPRE com o tema. Ao lado, use a tese.

Ex.: (tema)O trabalhado voluntário (tese)infelizmente é barrado pelo individualismo, no sentido de que …(argumento: é só adaptar o que foi planejado na observação 1).

  1. Depois de relacionar o argumento (aquele que foi planejado lá na observação 1), para fundamentar a tese, você pode, nesse parágrafo 2, com a finalidade de dar progressão a ele, novamente, usar os textos de apoio, juntamente, com a fonte para FORTALECER o que foi dito (Essa última orientação de usar a coletânea da prova depende de uma leitura muito atenta da prova de redação).
  • NO TERCEIRO PARÁGRAFO, faça assim:

a) INICIE com um elemento de SOMA (além disso, além do mais, acrescenta-se ainda que, um outro fator… : escolha um deles).

b) Depois – se quiser – pode repetir o tema em parte ou com sinônimo.

c) Retome a situação-problema (tese) ou cite uma outra.

d) E novamente explique com a finalidade de argumentar.

Ex.: (Elemento de soma)Acrescenta-se ainda que (tema)o voluntariado é também (tese)ignorado pelo egoísmo, em função de que (argumento)

  • NA CONCLUSÃO, faça assim:

a) INICIE com elemento conclusivo (portanto, dessa forma, dessa maneira, diante disso).

b) Depois retome claramente o tema e a tese, seguidos de afirmações como ‘… precisa ser repensado’, ‘medidas devem ser tomadas’ (ou algo sinônimo disso).

c) Na segunda frase, inicie-a e faça assim para efetivamente desenvolver a solução: “Inicialmente, é preciso que… Paralelamente a isso, é fundamental que… Por fim, podemos também…

Ex.:  (Elemento conclusivo)Dessa forma, (tema)o voluntariado é, muitas vezes, (tese)negado em função de sentimentos mesquinhos do ser humano, (início da medida de intervenção) os quais precisam ser repensados. Inicialmente, é preciso que…

  • Para desenvolver uma boa medida ou medidas de intervenção, você pode usar as seguintes perguntas: ‘quem pode fazer algo para minimizar o problema?’, ‘O que pode ser feito?’, ‘Como pode ser feito?’, ‘Quais os possíveis benefícios da ação proposta?’.

Compreenderam o raciocínio? Escolham um tema de prova, que já tenha sido do Enem e aplique esse truque que será o ponto de partida para você fazer os melhores textos de sua vida. Todos nós, inclusive eu, precisamos nos orientar, ter uma linha de pensamento e, sobretudo – ter um  MÉTODO. Então, aproveite esta oportunidade; faça as ideias acontecerem. Você vai conseguir! Depois que fizer seu texto, pode me dizer como foi? Houve dúvidas?

Um super abraço para vocês!

E acredito e sei que vocês vão conseguir… no início, a gente vai experimentando as ideias… mas logo passamos a FLUIR no texto e isso é MUITO BOM!

Um ótimo estudo a todos!

Pati  ☺

Comments

comments

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here